Comida é combustível, e o combustível certo terá um efeito excepcionalmente positivo em sua vida e desempenho. Você sabe o que são micronutrientes? Os micronutrientes são um dos principais grupos de nutrientes de que seu corpo necessita. Esses elementos ou substâncias químicas são essenciais em pequenas quantidades para o crescimento e a saúde dos humanos.

Eles incluem:

  • Vitaminas, que são necessárias para a produção de energia, função imunológica, coagulação do sangue e outras funções.
  • Minerais, que desempenham um papel importante no crescimento, saúde óssea, equilíbrio de fluidos e vários outros processos.

As dietas de muitos atletas são conhecidas por monitorar os macronutrientes; proteínas, carboidratos e gorduras – mas os micronutrientes não devem ser deixados para trás.

“Muitos micronutrientes desempenham papéis-chave no metabolismo energético”, concluiu um estudo da Universidade de Aberdeen examinando o papel dos micronutrientes no esporte e na atividade física.

Eles desempenham um papel importante na produção de energia, transporte de oxigênio, manutenção da saúde óssea, função imunológica adequada e proteção do corpo contra os danos oxidativos, que ocorrem através do exercício. Eles também auxiliam no crescimento do tecido e na reparação e recuperação do exercício.

Em última análise, uma dieta saudável é fundamental para um bom desempenho; os alimentos fornecem a energia de que precisamos para fazer tudo e qualquer coisa e nos fornecem os nutrientes de que precisamos para crescer e reparar após o exercício.

Micronutrientes são chamados assim porque nossos corpos só precisam deles em quantidades minúsculas. No entanto, por menores que sejam as quantidades, a Organização Mundial da Saúde alerta que as consequências dos desequilíbrios e deficiências são graves.

“Embora um nível adequado de vitaminas e minerais seja essencial para a saúde normal, os estados de deficiência marginal podem ser aparentes apenas quando a taxa metabólica é alta”, concluiu o estudo da Universidade de Aberdeen. “Exercícios extenuantes e prolongados realizados regularmente também podem resultar em maiores perdas do corpo ou em um aumento da taxa de rotatividade, resultando na necessidade de um aumento na ingestão alimentar.”

Os micronutrientes mais importantes para os atletas se concentrarem são:

  • Cálcio

O mineral mais abundante no corpo, o cálcio ajuda a construir e manter ossos saudáveis. Ele também garante a formação de coágulos sanguíneos de forma adequada e desempenha um papel importante na contração muscular, incluindo os batimentos cardíacos. Cãibras musculares e osteoporose são sintomas comuns de baixos níveis de cálcio.

  • Ferro

O ferro pode ser um dos minerais mais importantes consumidos por atletas, pois é um componente-chave da hemoglobina, a proteína nas células vermelhas do sangue que transporta o oxigênio dos pulmões para os músculos.

“Se você tem pouco ferro, corre o risco de privar seus músculos de oxigênio”, diz um artigo do Outside Online intitulado Quanto ferro é suficiente para atletas de resistência? É muito raro que os atletas tenham uma deficiência grave de ferro. A melhor maneira de saber se você tem deficiência de ferro é testar sua hemoglobina, ferritina e talvez a saturação de transferrina.

  • Zinco

O zinco é muito importante para manter o sistema imunológico forte e reduzir o risco de resfriados e doenças infecciosas. Também ajuda no crescimento e desenvolvimento e, o mais importante, é essencial para a cura de feridas.

Em suma, o zinco ajuda na produção de novas células e enzimas, processando carboidratos, gorduras e proteínas nos alimentos e na cicatrização de feridas. A falta de zinco pode tornar os atletas mais suscetíveis a doenças e enfermidades.

  • Magnésio

Além de ser um eletrólito, o magnésio desempenha um papel na função muscular e nervosa e na criação de ATP. Ajuda a transformar os alimentos que comemos em energia. O magnésio é essencial para uma contração muscular saudável e eficiente, função cardiovascular, neurotransmissão, digestão e equilíbrio de fluidos saudável.

Níveis baixos de magnésio no sangue podem resultar em fadiga muscular, bem como em outros sinais e sintomas.

  • Vitamina D e B

A vitamina D é benéfica para a absorção de cálcio (ajudando a construir ossos fortes, especialmente necessários para atletas) e tem um efeito poderoso na imunidade e na prevenção de doenças.

As vitaminas B auxiliam na liberação de energia dos carboidratos, gorduras e proteínas. Eles também desempenham um papel importante na produção de glóbulos vermelhos, que transportam oxigênio em nossos corpos, por sua vez auxiliando nossa capacidade aeróbia.

  • Vitaminas C e E

O aumento da taxa metabólica durante o exercício aumenta o consumo de oxigênio e expõe as células a um estresse oxidativo quase constante e danos celulares associados. As vitaminas C e E são uma forma de antioxidante e protegem as células do corpo dos efeitos desses radicais livres (moléculas produzidas como subproduto da produção de energia).

As vitaminas C e E ajudam a controlar os danos musculares e a fadiga, e acredita-se que melhorem a capacidade aeróbica.

A nutrição é importante durante todo o treinamento, não apenas durante o tempo de competição; “O principal papel da nutrição pode ser o de apoiar um treinamento intensivo consistente que levará a um melhor desempenho”, concluiu um estudo que examinou os objetivos nutricionais e as estratégias dietéticas para atletas.

Uma dieta equilibrada e saudável deve comprovar todos os micronutrientes exigidos pelos atletas.