Ter uma alimentação saudável e adequada é fundamental para conseguir chegar ao seu objetivo, isso aliado ao tipo de treino. Saber o que comer e em qual momento ajuda a alcançar mais rápido o resultado pretendido.

O importante é que se coma comida de verdade, sendo o consumo maior em produtos naturais e o mínimo de industrializados, contendo todos os grupos alimentares  e priorizando frutas, carboidratos de qualidade – batata-doce, mandioquinha, inhame, arroz integral -, leguminosas – feijões, lentilha, ervilha, grão-de-bico -, carnes, vegetais e gorduras boas – óleo de coco, abacate, azeite e oleaginosas.

Antes de cada WOD, com duração de mais de 30 minutos, deve ser acompanhado de uma dose extra de carboidratos e para treinos mais curtos, que tenham como objetivo a perda de peso, não têm essa necessidade. Já para quem quer perder peso o ideal, antes do treino, é reduzir o teor de carboidratos associando a uma fonte de proteína – frango, atum, queijo – ou até mesmo a ingestão de gorduras boas. No pós-treino é necessário o consumo de proteínas e carboidratos, pois a ideia é turbinar a recuperação muscular.

Outros alimentos funcionais que tenham baixo teor de gordura ajudam a potencializar os resultados do treino, dando mais energia e disposição. Uma boa opção é o consumo de bebidas termogênicas e entre elas o chá verde se destaca. Pois devido a sua concentração de cafeína, faz com que ajuda a acelerar as funções metabólicas do corpo, garantindo a utilização das reservas de gordura como fonte de energia, pois aumenta o ritmo de trabalho e por consequência aumenta o gasto calórico.

O consumo de cacau, canela, gengibre, açafrão e alho ajudam também a melhorar o rendimento e alimentos ricos em ômega 3 melhoram a recuperação e a reparação tecidual pelo seu efeito anti-inflamatório. 

Em relação a suplementação, esta deve ser sempre prescrita por um profissional habilitado, mas o que geralmente é indicado é a creatina, pois auxilia no ganho de massa muscular, forçando e auxiliando no trabalho de explosão.